2009

Imprensa 
QUEM É O MAIOR? 
Se a notícia que Romulo Júnior anunciou no fim de ano for verdadeira, pela primeira vez a opinião pública terá a oportunidade de tirar a prova dos nove sobre qual é o jornal que mais vende em Belém, O Liberal ou o Diário do Pará 
N° 432 • JANEIRO DE 2009 • 1ª QUINZENA 

Violência 
UMA FERA SEM CONTROLE 
Mais uma vez mudaram as pessoas e os discursos, só não deverá mudar a realidade. O governo parece acreditar na sua propaganda, da “terra de direitos”. Por enquanto, o mais acatado é o do bandido. 
Nº 433 • JANEIRO DE 2009 • 2ª QUINZENA 

Violência 
QUEM É O BANDIDO? 
O impacto da violência cada vez maior faz a sociedade apoiar operações policiais como a que resultou em cinco mortes em cinco dias de uma operação policial na periferia. O avanço civilizatório conquistado pode regredir. 
Nº 434 • FEVEREIRO DE 2009 • 1ª QUINZENA

Fórum
DEPOIS QUE ELE PASSOU 
Foi uma façanha sediar em Belém a nona versão do Fórum Social Mundial, trazendo a solidariedade do mundo para a Amazônia. O que ficou realmente dessa iniciativa? É a pergunta que fica. Uma das poucas coisas que ficam. 
Nº 435 • FEVEREIRO DE 2009 • 2ª QUINZENA 

Minérios
RIQUEZA QUE ACABA 
Os números recordes da exportação do ano passado camuflam uma perspectiva preocupante: quanto mais exportar e faturar, como tem feito, mais incerto será o futuro do Pará. 
Nº 436 • MARÇO DE 2009 • 1ª QUINZENA 

Pedofilia
A ADOÇÃO DO CRIME 
Ruíram as cidadelas que protegiam o deputado Luiz Afonso Sefer da acusação de pedofilia. A nova trajetória do caso apronta no rumo da condenação. A culpa é apenas individual? 
Nº 437 • MARÇO 2009 • 2º QUINZENA 

Belém
SAÚDE EM CRISE 
O prefeito Duciomar Santos, antes de se tornar político, tentou ser médico sem se submeter à formação regular. Seus cinco anos no exercício da prefeitura de Belém estão marcados pelo desrespeito à saúde da população. Como se fosse um acerto de contas. 
Nº 438 • MARÇO DE 2009 • 2ª QUINZENA 

Política
O QUASE-CANDIDATO DE NOVO 
Mais uma vez Romulo Maiorana Júnior se lança como candidato político, usando seus veículos de comunicação. Diz que pode sair para o governo ou o senado. Como de outras vezes, pode não passar de balão de ensaio. Para outros fins. 
Nº 439 • ABRIL DE 2009 • 2ª QUINZENA 

Imprensa
SANGRIA É CONTIDA 
A imprensa paraense não fez o que era da sua responsabilidade: conter os excessos do noticiário de polícia. Depois de ter abusado muito da liberdade de informar, reage à proibição da justiça como se defendesse uma causa nobre. O que lhe interessa é faturar. 
Nº 440 • MAIO DE 2009 • 1ª QUINZENA 

Imprensa
A DITADURA NÃO ACABOU 
Muitos soltaram foguetes pela decisão do STF, de acabar com uma das mais nefastas criações da ditadura: a lei de imprensa, de 1967. Mas a festa pode ter sido precipitada. E sem motivo real. 
Nº 441 • MAIO DE 2009 • 2ª QUINZENA 

Cheias
O HOMEM MUDOU O RIO 
Como sempre acontece quando as cheias dos rios na Amazônia são maiores, as autoridades se movimentaram para socorrer os “flagelados” e aparecer diante da opinião pública. Depois, tudo voltará ao que era antes. Este ciclo, porém, pode estar chegando ao fim. 
Nº 442 • JUNHO DE 2010 • 1ª QUINZENA

Pará
PARA BAIXO 
É brutal o contraste entre a quantidade de riquezas extraídas do Pará e a pobreza em que fica a sua população. Na avaliação do desempenho dos mais pobres do Brasil, o Pará só está melhor do que o Amazonas, em 26º lugar. Por quê? 
Nº 443 • JUNHO DE 2009 2ª QUINZENA 

Política
O DONO DA BOLA 
Se alguém um dia acreditou que o PSDB tinha mesmo um programa para mudar o Pará, trate de desacreditar: o maior dos líderes tucanos, o médico Almir Gabriel, acabou com as ilusões ao retornar ao Estado e atacar seu principal auxiliar e sucessor. O que interessa mesmo aos tucanos é o poder. Como a todos os demais políticos. 
Nº 444 • JULHO DE 2009 • 1ª QUINZENA 

Política
IGUAL E DIFERENTE 
No Pará se aplica como luva a definição dada a certo tipo de política, na qual tudo muda para ficar exatamente como estava. Em três anos, a situação política experimentou enorme transformação, mas apenas de nomes e de interesses. Nada em substância. 
Nº 445 • JULHO DE 2009 • 2ª QUINZENA

Política
O PREÇO DA VITÓRIA 
O eleitor deve zanzar desnorteado através da imprensa. A pouco mais de um ano da eleição, o noticiário dos jornais não reflete a intensidade das negociações e articulações de bastidores, que estão definindo o quadro político para a eleição de 2010. Por causa dos interesses das empresas jornalísticas. 
Nº 446 • AGOSTO • 1ª QUINZENA

Amazônia
TERRA ARRASADA 
O que distingue a regularização fundiária dos militares da que o governo Lula começou a realizar agora na Amazônia? Talvez as diferenças sejam apenas superficiais. Na essência, o objetivo é o mesmo: continuar a submeter a Amazônia à ação do colonizador. E do predador. 
Nº 447 • AGOSTO 2009 • 2ª QUINZENA 

Grandes projetos
30 ANOS DEPOIS 
Os grandes projetos econômicos abriram clareiras na floresta amazônica e nela instalaram o capitalismo mais moderno do mundo. Os primeiros desses empreendimentos entraram em operação há 30 anos, no Jari. Quem se lembra? O que acha? 
Nº 448 • SETEMBRO DE 2009 • 1ª QUINZENA

Marina
QUAL A NOVIDADE? 
A pré-candidatura à presidência da república da senadora Marina Silva tem muitos aspectos positivos. Mas até que ponto ela poderá manter fidelidade aos seus compromissos desta vez? Esta é uma das questões por trás do novo, que ela encarna. 
Nº 449 • SETEMBRO 2009 • 2ª QUINZENA 

Carajás
PARÁ VAI SE INDUSTRIALIZAR? 
O Pará é o eixo de uma luta pelo controle da maior empresa privada nacional, a Vale do Rio Doce. De um lado, o presidente Lula. De outro, o executivo Roger Agnelli. O empresário permaneceu no seu posto, mas seu poder encurtou. Das negociações pode resultar a primeira grande siderúrgica paraense. 
Nº 450 • OUTUBRO DE 2009 • 1ª QUINZENA 

Eleição
NÃO HÁ FAVORITO 
Nenhum dos pré-candidatos ao governo do Estado em 2010 parece ter força eleitoral suficiente para uma vitória no 1º turno. Não há novidade alguma nas alternativas de nomes. O Pará, que enfrenta muitos desafios, precisa de um novo líder, que inexiste. 
Nº 451 • OUTUBRO DE 2009 • 2ª QUINZENA

Vale
UMA ESFINGE 
Se a antiga Companhia Vale do Rio Doce se transformou num monstro, como diz o presidente Lula, os governos do PSDB e do PT agiram como o médico criador,, para usar a simbologia da literatura. Só mudar o presidente da companhia ou incrementar seus investimentos nada muda. Talvez apenas os recursos não contabilizados das eleições. 
N° 452 • NOVEMBRO DE 2009 • 1ª QUINZENA 

Política
GUERRA DOS CORONÉIS 
A corrida eleitoral já está nas ruas do Maranhão, antes do que em qualquer outro lugar do Brasil. Pelo jeito, de olho no futuro, as lideranças políticas estão dispostas a recorrer a métodos do passado. Para ganhar de qualquer maneira. 
Nº 453 • NOVEMBRO DE 2009 • 2ª QUINZENA

Desenvolvimento
O PARÁ ATRASADO 
O Pará, Estado colonial por causa da sua função extrativa, não consegue transformar seu crescimento em progresso. É o que mostra o PIB de 2007, revelado na semana passada pelo Idesp. O modelo continua a ser o do rabo de cavalo: crescimento para baixo. 
Nº 454 • DEZEMBRO DE 2009 • 1ª QUINZENA 

Políticas 
CENAS EXPLÍCITAS 
Toda confusão armada em Belém a partir da cassação do prefeito Duciomar Costa foi mais um capítulo para a preparação da campanha eleitoral do próximo ano. O enredo dessa história não contempla um personagem: o mocinho. 
Nº 455 • DEZEMBRO DE 2009 • 2ª QUINZENA
Postar um comentário